Inscreva seu e-mail para receber atualizações!

terça-feira, 28 de julho de 2015

Meio ambiente, hidrovias e produção de tabaco estiveram na pauta da Comissão de Economia

 
 
Os gargalos da cadeia produtiva florestal, a Hidrovia Brasil-Uruguai, os impactos no desenvolvimento econômico da Serra gaúcha e a crise na produção e comercialização de tabaco em municípios de minifúndio resumem algumas das atividades do primeiro semestre da Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, presidida pelo deputado Adilson Troca (PSDB).
 
A comissão totalizou 22 reuniões de março a julho deste ano, das quais 18 foram ordinárias e quatro foram audiências públicas. Das audiências, duas ocorreram em abril, na sede do Legislativo, em Porto Alegre: sobre os gargalos da cadeira produtiva florestal, por proposição da deputada Any Ortiz (PPS) e sobre a Hidrovia Brasil-Uruguai, tema solicitado pelo deputado Zé Nunes (PT). Os dois assuntos mobilizaram autoridades, entidades e lideranças que atuam nessas áreas.
 
No interior do Estado, em Caxias do Sul, em maio, os deputados discutiram na Câmara de Vereadores a infraestrutura e logística e os impactos no desenvolvimento da Serra, proposta encaminhada pelo presidente da comissão, Adilson Troca. No mesmo mês, os deputados se deslocaram para Canguçu onde discutiram a crise na produção e comercialização de tabaco em municípios de minifúndio, assunto encaminhado pelo deputado Nelsinho Metalúrgico (PT). Os debates promovidos nos municípios foram acompanhados por diversas autoridades locais, entidades comerciais e industriais, sindicatos e moradores.
 
Reuniões ordinárias
Responsável pela análise de temas relacionados com a indústria, comércio, turismo, desenvolvimento sustentável regional ou estadual e demais assuntos referentes aos setores secundário e terciário da economia gaúcha, a Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, promoveu 18 reuniões ordinárias no Palácio Farroupilha, de março a julho. Os encontros são realizados às quartas-feiras, às 9h, na Sala Alberto Pasqualini, 4º andar, conforme calendário previsto no Regimento Interno da Assembleia Legislativa. Na dinâmica das reuniões, os deputados aprovam a ata da sessão anterior, o presidente faz a leitura da correspondência recebida e do expediente e depois encaminha a Ordem do Dia, que consiste no espaço para discussão e aprovação de requerimentos solicitando audiências públicas ou seminários para discussão de temas específicos, mediante a presença mínima de sete parlamentares para deliberação.
 
São titulares da comissão os deputados Adilson Troca (PSDB), presidente, Tiago Simon (PMDB), vice-presidente, Ibsen Pinheiro (PMDB), Nelsinho Metalúrgico (PT), Zé Nunes (PT), Marlon Santos (PDT), Eduardo Loureiro (PDT), João Fischer (PP), Sérgio Turra (PP), Aloísio Classmann (PTB), Any Ortiz (PPS) e Mário Jardel (PSD).

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Adilson Troca defende uma nova ponte para Piratini

Na manhã desta quinta-feira (16) o deputado estadual Adilson Troca conversou com o diretor Geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Ricardo Nuñez, sobre a ponte sobre o Arroio do Costa, na ERS-702, que dá acesso a Piratini. O parlamentar cobrou uma solução emergencial para a travessia de carros, caminhões e ônibus e reforçou o pleito por uma nova ponte como solução definitiva.
Troca foi procurado pelo vereador Serginho, de Piratini, que lidera uma Frente Parlamentar sobre o assunto, e está encaminhando os pleitos da região junto ao Governo do Estado.
O diretor Ricardo Nuñez garantiu a Troca que será dada toda atenção a Ponte do Costa. Ele afirmou que será feito o possível para buscar recursos para solucionar os frequentes problemas de maneira permanente. "Vamos continuar atentos e trabalhando pela ponte. São problemas que se repetem e precisamos superá-los de vez", afirmou o deputado Troca.
           

            

Picada Café: Íntegra do discurso do deputado Adilson Troca




Boa tarde colegas deputados, prefeita Claudia Schenkel.

O que todos sabemos, acompanhamos e discutimos nos últimos tempos são as dificuldade que nosso Rio Grande do Sul e nosso Brasil enfrentam. A crise inviabiliza muitos dos projetos que gostaríamos de ver postos em prática, nos cobra sacrifícios e sem dúvidas, de uma maneira ou de outra, se faz presente na vida de todos.
Neste cenário que trabalhamos, todos nós, para mudar, para melhorar, gostaria hoje de destacar aqui um exemplo de uma município do interior do Estado que mesmo em meio a dificuldades vem conseguindo obter resultados excelentes em diversas áreas. Trata-se de Picada Café, uma linda cidade da encosta da serra gaúcha.
A região de Picada Café começou a ser ocupada por famílias de imigrantes alemães após a retomada da imigração interrompida entre os anos de 1830 e 1845. Antes de sua emancipação, em 20 de março de 1992, Picada Café pertencia à Nova Petrópolis.

Até meados do século 19, as principais vias de contato entre São Leopoldo e os diversos núcleos, eram as picadas. Ou seja, as trilhas por onde transitavam os animais carregando produtos coloniais e trazendo os que eram consumidos localmente. Abertas nas encostas escarpadas e de difícil trânsito, essas vias foram ampliadas mais tarde para darem lugar ao trânsito de carretas. A maioria das estradas atuais foi construída sobre esses caminhos primitivos. A picada de Picada Café começava a 24 quilômetros de São Leopoldo e se estendia por 15 quilômetros.
Localizada na Encosta da Serra Gaúcha, Picada Café apresenta uma geografia montanhosa, com matas nativas, riachos que deságuam no Rio Cadeia, afluente do Rio Caí.
Duas versões explicam o nome Picada Café. A primeira conta que os tropeiros passavam pela estrada próxima ao Parque Histórico Municipal Jorge Kuhn, onde acampavam para tomar o café e/ou pernoitar para seguir viagem no dia seguinte. A segunda versão conta que os imigrantes receberam algumas mudas de café para serem plantadas em uma área localizada em nosso município denominada Kaffeeck (Canto do Café). Essa plantação não prosperou, mas a localidade manteve seu nome.
 O contexto histórico soma-se a visão de futuro da população e a força de trabalho para a construção de um município próspero e com grande potencial. A cidade é administrada pela minha colega de PSDB, Claudia Schenkel, a prefeita mais jovem do nosso Estado e uma das mais jovens de todo Brasil. O que notamos é uma administração próxima das pessoas, construindo soluções em meio à crise através de uma gestão moderna e eficiente.
O Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado conferiram a Picada Café o Diploma de destaque pela atuação na educação infantil em 2014. Dos quase 500 municípios do estado somente 44 tiveram esse congraçamento.
Além disso, Picada Café é um dos municípios gaúchos agraciados com o Prêmio Boas Práticas de Transparência na Internet. Dos quase 500 municípios somente 94 alcançam os quesitos mínimos de transparência na rede mundial de computadores.
 Picada Café é o Município Campeão no IDEB – Séries Finais.
A cidade ficou com a melhor nota (6,9) no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica das escolas municipais no Rio Grande do Sul nas séries finais – do 6º ao 9º ano. A nota é mais de um ponto a mais que o município que ficou em segundo. No Estado a média foi de 4,2. A Escola Municipal 25 de Julho ficou com 6,9. Nos anos iniciais do ensino fundamental – 1º ao 5º ano – os números de Picada Café também foram expressivos. A média foi de 6,3. A Escola Municipal Santa Joana Francisca ficou com 7,3. No estado ela foi 5,6.
Acrescento ainda em Picada Café a fila na educação infantil foi zerada durante esta gestão. Ninguém precisa esperar para ter escola de educação infantil para seu filho. Mais: toda rede municipal de ensino fundamental conta com turno integral.
São mais de 30 oficinas diferentes oferecidas no contra turno das aulas. Picada Café oferece ainda um Polo Universitário com vários cursos, desde técnicos, de graduação e pós. A cidade tem apenas 5.300 habitantes, mas nela se pode estudar desde a educação infantil até a universidade sem precisar se deslocar a outras cidades.
Para quem estuda em outras cidades, o Município auxilia com 50% do custeio do transporte.
Na saúde, Picada Café possui uma Unidade Básica de Saúde com uma grande estrutura para atender a população. A administração pública acabou com o limite de fichas de atendimento e estendeu o horário de atendimento normal até às 20h, um grande facilitador para buscar o atendimento fora do horário comercial. O município conta com plantão de emergência e urgência 24 horas e está construindo uma segunda Unidade Básica de Saúde no bairro Joaneta, no polo industrial. É nesse bairro que estão instaladas as empresas que fabricam os calçados Converse e Coca-Cola, duas referências em moda juvenil.

Além da grande potência na área calçadista Picada Café tem uma economia fomentada em serviços e agricultura, onde o município é grande incentivador e fomentador.
 Cláudia implantou ações importantes, pontuais e fundamentais para melhorar a vida das pessoas através de uma gestão qualificada.  Acreditamos sempre na administração responsável e focada em resultados.
 Outro destaque de Picada Café diz respeito ao Turismo.  O relevo montanhoso e a presença dos plátanos dão um charme todo especial ao caminho que leva à Picada Café, Cidade dos Lírios. O respeito às belezas naturais, o cultivo de tradições e a preservação da história são características marcantes. Nas casas antigas, em estilo enxaimel, uma viagem ao passado ajuda a contar a história da colonização alemã em Picada Café.
Para encerrar faço questão de convidar os deputados, a nossa plateia e a todos que acompanham esta sessão pela TV e Rádio Assembleia a conhecerem mais Picada Café. Nos dias primeiro e 2 de agosto acontece a Sexta Edição da Festa do Café, Cuca e Lingüiça, uma excelente oportunidade para irem à cidade.
Como o nome já sugere, é um grande festival gastronômico. Em dois dias de evento o visitante terá acesso a iguarias da culinária da região. São variadas opções gastronômicas, apresentação de grupos folclóricos da região. O visitante pode dançar ao som das bandas típicas ou mesmo participar de oficinas de preparo de cuca ou café. No domingo, haverá exposição de carros antigos e mais uma edição do Caminhos e Trilhas.
 Ao fim deste Grande Expediente, entregaremos a prefeita Claudia Schenkel, a Medalha da Legislatura em homenagem aos resultados de sua gestão e também como forma de honrar toda a história de Picada Café e sua população. 
Enquanto isso ouviremos a Orquestra de Sopros de Picada Café. A maioria dos integrantes são jovens que tiveram seu primeiro contato com a música nas oficinas do turno integral das escolas. Seu maestro é Carlo Cleomar Dick.
 Muito Obrigado!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Adilson Troca homenageia município de Picada Café

Marinella Peruzzo - MTE 8764 | Agência de Notícias - 15:19-15/07/2015 - Edição: Celso Bender - MTE 5771 - Foto: Marcelo Bertani
No período do Grande Expediente da sessão plenária desta quarta-feira (15), o deputado Adilson Troca (PSDB) prestou homenagem ao município de Picada Café, na Serra Gaúcha. O parlamentar destacou conquistas da atual gestão nas áreas da educação, da saúde e do turismo.
Conforme Troca, a região de Picada Café começou a ser ocupada por famílias de imigrantes alemães após a retomada da imigração, interrompida entre os anos de 1830 e 1845. Antes de sua emancipação, em 20 de março de 1992, o município pertencia a Nova Petrópolis. Até meados do século 19, as principais vias de contato entre São Leopoldo e os diversos núcleos eram as picadas.
Localizada na Encosta da Serra Gaúcha, Picada Café apresenta uma geografia montanhosa, com matas nativas e riachos, que deságuam no Rio Cadeia, afluente do Rio Caí.
O nome
Duas versões explicam o nome “Picada Café”, segundo o deputado. A primeira conta que os tropeiros passavam pela estrada próxima ao Parque Histórico Municipal Jorge Kuhn, onde acampavam para tomar o café ou pernoitar para seguir viagem no dia seguinte. A segunda versão conta que os imigrantes receberam algumas mudas de café para serem plantadas em uma área denominada Kaffeeck (Canto do Café). A plantação não prosperou, mas a localidade manteve seu nome.

Administração jovem
Troca chamou a atenção para a visão de futuro e a força de trabalho da população local. Registrou que a cidade é administrada por colega do seu partido, Claudia Schenkel, a prefeita mais jovem do Estado, e uma das mais jovens do país. “O que notamos é uma administração próxima das pessoas, que constrói soluções em meio à crise, por meio de uma gestão moderna e eficiente”, disse.

Destaques
Segundo Troca, o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado conferiram a Picada Café o Diploma de destaque pela atuação na educação infantil, em 2014. Dos quase 500 municípios do Estado, somente 44 tiveram este congraçamento. Além disso, lembrou o parlamentar, Picada Café foi um dos municípios gaúchos agraciados com o Prêmio Boas Práticas de Transparência na Internet. Dos aproximadamente 500 municípios, somente 94 alcançam os quesitos mínimos de transparência na rede mundial de computadores.

A cidade também tem conquistas na área da educação, tendo obtido a melhor nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica das escolas municipais no Rio Grande do Sul nas séries finais – do 6º ao 9º ano.
Outros destaques dizem respeito às áreas de saúde e turismo. Nos dias 1º e 2 de agosto, conforme o parlamentar, realiza-se a 6ª Edição da Festa do Café, Cuca e Linguiça. “São variadas opções gastronômicas e apresentação de grupos folclóricos da região”, disse. No domingo, ocorre uma exposição de carros antigos e mais uma edição do Caminhos e Trilhas.
Ao término do pronunciamento, os deputados concederam à prefeita Claudia Schenkel a Medalha da Legislatura e assistiram à Orquestra de Sopros de Picada Café, sob a regência do maestro Carlo Cleomar Dick.
Apartes
Associaram-se à homenagem, em apartes, os deputados Elton Weber (PSB), Eduardo Loureiro (PDT), Any Ortiz (PPS), Juliano Roso (PCdoB), Tarcísio Zimmermann (PT), Zilá Breitenbach (PSDB), Ronaldo Santini (PTB), Álvaro Boessio (PMDB), João Fischer (PP) e Missionário Volnei (PR). Estiveram presentes os secretários de Estado Victor Hugo e Lucas Redecker e as soberanas da festa.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Trânsito não é brincadeira



A Secretária da Escola, Priscila,  Henrique Jurique e o Diretor Ilbanez

Nesta quinta-feira (09), Henrique Jurique, da equipe do gabinete de Adilson Troca realizou visita a Escola Manoel Fausto Pereira Forte, em São Sebastião do Caí. O diretor Ilbanez e vai usar a cartilha Trânsito Não é Brincadeira como material pedagógico. A publicação é feita pelo gabinete de Adilson Troca e o conteúdo foi idealizado pela Brigada Militar. A distribuição é gratuita.

Se você tive interesse em alguma publicação do gabinete basta pelo telefone 51-32101545. Há material disponível sobre Trânsito, Meio Ambiente, Doação de Órgãos e muitos outros.

 

Libras: um gabinete mais próximo das pessoas

O atendimento no gabinete do deputado estadual Adilson Troca está ainda mais inclusivo e qualificado. A assessora Margarete Silveira concluiu o Curso Básico de Língua Brasileira dos Sinais, oferecido pela Escola do Legislativo.  Lá ela pode aprender as técnicas de tradução e comunicação com as pessoas surdas.  
Adilson Troca é autor de importantes Leis na área social, como por exemplo a Lei do Passe Livre para pessoas carentes com deficiência no transporte público intermunicipal. Por sua atuação forte em favor da acessibilidade, Adilson Troca recebeu inclusive o Prêmio Faders de Responsabilidade Social
Foto: Pedro Belo Garcia | Agência ALRS

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Portuários


Na manhã desta quarta-feira (08) o deputado estadual Adilson Troca está recebendo lideranças do Sindicato dos Portuários do Rio Grande - Sindiporg. Eles tratam de pautas de interesse da categoria, como os projetos do Poder Executivo que encontram-se em tramitação na Assembleia legislativa. 
Adilson Troca e os portuários tem um alonga história de lutas e parceria. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...